Artigo

Meu Peniel

“Se não fora o Senhor, ora se não fora o Senhor…” Com essa passagem bíblica retomo minha coluna “Vida em Família”, em O Jornal Batista. Davi, nesse Salmo, estava creditando a Deus a vitória alcançada.

 

Como muitos sabem, no dia 10 de dezembro, me submeti a uma cirurgia cardíaca, de peito aberto, para troca da válvula aórtica. Fiquei internado por 25 dias, sendo nove no CTI. Em 1995, descobri que eu possuía uma má formação congênita na válvula aórtica. Todos os anos eu fazia check-up para verificar o grau de comprometimento da válvula. Até que no ano passado, foi constatada a necessidade da troca.

 

Sabia de que seria uma cirurgia de grande porte. Procurei, enquanto realizava outros exames, me preparar, acima de tudo, espiritualmente para o desafio. Em um dos momentos devocionais, li Gênesis 32.30, que diz: “Jacó chamou àquele lugar Peniel, pois disse: “Vi a Deus face a face e, todavia, minha vida foi poupada”. Hoje considero o Hospital Balbino, onde fui operado, como o meu Peniel. Lugar onde Deus me marcou, abençoou e preservou.

 

Um outro texto usado por Deus para falar ao meu coração está em Filipenses 1.21-25, que diz: “Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro. Caso continue vivendo no corpo, terei fruto do meu trabalho. E já não sei o que escolher! Estou pressionado dos dois lados: desejo partir e estar com Cristo, o que é muito melhor; contudo, é mais necessário, por causa de vocês, que eu permaneça no corpo. Convencido disso, sei que vou permanecer e continuar com todos vocês, para o seu progresso e alegria na fé”.

 

A frase, “sei que vou permanecer e continuar com todos vocês” foi a usada por Deus para falar ao meu coração. Isso não quer dizer que não tenha passado pelo vale da sombra e da morte e que, como Pedro, em algum momento não tenha duvidado dessas promessas. Como Pedro, também sou fraco, mas é bom saber que Deus é misericordioso e paciente conosco.

 

A cirurgia, como já afirmei, ocorreu no dia 10 de dezembro. Nove dias depois estava em casa. Nessa primeira internação tive algumas crises de taquicardia, precisando ser feito um procedimento de reversão cardíaca. Depois da alta, permaneci em minha casa por dez dias. No dia 31 de dezembro, apresentei um quadro de pneumonia, precisando retornar ao hospital por mais 15 dias.

 

Já se passaram quatro meses e a cada dia o Senhor tem me fortalecido. Tenho retomado meus compromissos ministeriais aos poucos. Ajustes estão e precisarão ser feitos na dinâmica do trabalho. Mas Deus tem sido fiel e continuará sendo.

 

Louvo a Deus por minha família, que me apoiou em todos os momentos, especialmente minha esposa Elizabete Bifano. Para ela, minhas filhas, genros e netos também foi difícil, mas Deus também esteve ao lado deles em todos os momentos.

 

Quero agradecer a tantas e tantas pessoas que oraram por mim, antes, nos dias que estava internado e tem orado até hoje por minha plena recuperação. Não tenho como mensurar o número de pessoas, Igrejas, organizações, grupos de WhatsApp, células que oraram por mim.

 

Agradeço também à equipe médica, tendo como cirurgião o doutor Mauro Paes Leme. Muitos outros médicos estiveram me acompanhando à distância, como o doutor Carlos Cardoso, da Primeira Igreja Batista do Lins de Vasconcelos-RJ, no Rio de Janeiro, e a doutora Carla Boquimpani, esposa do pastor Davidson Freitas, da Primeira Igreja Batista em Heliópolis, em Belford Roxo-RJ; doutora Glauceane Cardoso, doutor Luiz Augusto Paiva Cardoso, doutor Eduardo Faria (meu genro) e o doutor Waldir Ritter. A esses médicos, minha gratidão.

 

Agradeço à equipe do Hospital Balbino, médicos, como doutor Ruy Barbosa, enfermeiros e auxiliares técnicos. Agradeço a Deus pela vida de pastores que ministraram ao meu coração, que estiveram comigo no hospital. Obrigado a todos os doadores de sangue, que além de me abençoarem, abençoaram a tantas outras pessoas que nem conheço.

 

Mas, acima de tudo e de todos, agradeço ao meu Deus, que me formou no ventre de minha mãe, por ter me sustentado antes, durante e até aqui. Termino citando uma passagem da Palavra de Deus que tenho procurado seguir. Está em Atos 20.24, que diz: “Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus”. 

 

Gilson Bifano