Textos e Estudos Bíblicos
A Parábola do Semeador(1ª Parte) PDF  | Imprimir |  E-mail
Escrito por Redação CBB   
Qua, 23 de Setembro de 2015 12:38

A PARÁBOLA DO SEMEADOR (1ª Parte)

“PARA MIM, JESUS E SEU EVANGELHO NADA SIGNIFICAM”

Lucas 8.4-5;11-12

Para medir a trajetória de políticos em uma eleição, existe um aferidor chamado “índice de rejeição”. Este índice avalia qual a parcela de um eleitorado que não acredita e não vota de jeito nenhum em determinado candidato. Se o índice passar de 50%, pode ter certeza, o tal candidato já perdeu a eleição. Assim é na vida: tem algumas pessoas em quem não acreditamos, não confiamos de jeito nenhum. Quando falamos acerca de Jesus Cristo, a mesma coisa acontecerá, ou seja, muitas pessoas não confiarão nele, por mais que você se esforce por evangelizá-las. Jesus contou a parábola do semeador (Lucas 8.4-8) e depois deu a explicação dela (Lucas 8.11-15). Resolvi dividir a parábola em três partes, sempre com a explicação dada pelo Senhor. Hoje, vamos estudar o primeiro tipo de solo que se encontra em Lucas 8.4-5;11-12.

Uma grande multidão reuniu-se para ouvir Jesus (v. 4). Veio gente de muitas cidades. A multidão era enorme e ele ensinava por parábolas. Parábolas eram estórias baseadas na vida real deles. Esta parábola ficou conhecida como a “parábola do semeador”, mas na verdade deveria ser a “parábola dos solos” porque a diferença está no tipo de solo que recebe a semente. Vamos à parábola e aos seus ensinos. “O semeador saiu a semear” (v. 5). O semeador saiu para trabalhar: é sua função, seu trabalho. Não se diz quem é o semeador, mas podemos interpretar que, preferencialmente é Jesus que veio nos trazer a revelação de Deus, mas pode ser também qualquer pessoa que vai falando e espalhando a palavra de Deus. Nesta parábola a semente é importante, pois ela é interpretada por Jesus como sendo a “palavra de Deus” (v. 11), ou seja, o evangelho de Jesus Cristo. Esta “palavra” é toda a revelação que Deus nos transmitiu começando pelo Antigo Testamento e desembocando em Jesus Cristo e seu Novo Testamento. Deus comunicou-se conosco com a finalidade de nos salvar. Isto é o evangelho, as boas notícias. Você é um semeador da palavra de Deus? Você fala de Jesus para as outras pessoas: seus parentes, amigos, colegas e outros?

Vamos ver o primeiro tipo de solo. Uma parte da semente caiu à beira do caminho (v. 5). O solo do caminho é duro porque ela é pisada por homens, animais e carroças. As sementes ali foram pisadas e expostas, foram comidas pelas aves. Para aquele solo, a semente não era importante. O solo não recebeu e agasalhou a semente. Agora vem a explicação de Jesus. Cada tipo de solo corresponde a um tipo de pessoa no que se refere à reação delas diante da semente, que é a palavra de Deus. As pessoas do solo “beira do caminho” são aquelas que ouviram o evangelho de Jesus (v. 12). Mas, assim que ouvem, “vem o Diabo e tira a palavra do seu coração, para que não creiam e não sejam salvos”. O Diabo, que é um ser real e não fictício como muitos dizem, está trabalhando para que as pessoas não creiam no evangelho e ele quer derrubar tudo que você faz pelo Reino de Deus. Veja: ele tira a palavra do coração deste tipo de pessoa. Coração, na Bíblia, é o lugar das decisões. Quando ouve a palavra, este tipo de pessoa diz: “esta palavra é bonita mas ela não tem importância para minha vida!”. As pessoas “beira do caminho” são aquelas, por exemplo, que se acostumaram com a rotina de um bar, futebol e mulheres e não querem que o evangelho mude isto. Ou aquelas mulheres preocupadíssimas com a aparência física, cabeleireiros e festas e sabem que seria ruim para elas dar mais valor para a palavra de Deus. Ou aqueles jovens que preocupam-se exclusivamente com baladas, namoro e estudo e não têm tempo para Jesus. Todos eles decidem não crer no evangelho e por isso esta palavra não tem importância.

Se não creem em Jesus, não têm como ser salvos, pois a fé que salva vem pelo ouvir, e o ouvir da Palavra de Deus. Age diferente a pessoa que ouve o evangelho e diz: “esta é a palavra da minha vida, vou viver por ela e valorizar Jesus em mim”. Para você, que importância tem o evangelho de Jesus Cristo em sua vida? Como você demonstra sua resposta?

Última atualização em Qua, 23 de Setembro de 2015 12:50
 
As mulheres no Reino de Deus PDF  | Imprimir |  E-mail
Escrito por Redação CBB   
Qui, 17 de Setembro de 2015 11:18

AS MULHERES NO REINO DE DEUS

Lucas 8.1-3

Historicamente, as mulheres sempre ocuparam o segundo plano em qualquer sociedade. Até o século XX, todas as sociedades, com raras exceções, foram lideradas por homens. A partir do início do século passado, em países de tradição cristã, a situação começou a mudar. Hoje, em países democráticos, a mulher chega ao cargo de presidente ou chefe de governo. Vejamos de que forma Jesus agiu, na implantação do seu Reino de Deus, em relação às mulheres. Isto encontra-se em Lucas 8.1-3. O v. 1 diz que Jesus ia às cidades e vilas proclamando as boas novas (evangelho) do Reino de Deus. Jesus era trabalhador na sua pregação do evangelho. Ia de cidade em cidade, a pé, cumprir sua missão. Viera para pregar o evangelho e implantar o Reino de Deus e fez isto de forma determinada e sistemática. Ele não fazia distinção entre cidades grandes e vilas: onde houvesse gente carente do amor de Deus, ele ia pregar. O que era esta proclamação acerca do Reino de Deus por Jesus? Era a boa notícia de que Deus, o Rei, na pessoa do próprio Jesus, vem chamar os homens a participar do seu reino de forma voluntária. Somente por Jesus Cristo, nós temos condições de servir verdadeiramente a Deus e usufruir dos privilégios de seu reinado.

Jesus poderia fazer esta proclamação sozinho, mas não quis. O seu desejo é que os homens participem da pregação do evangelho. Por isso, levou os doze apóstolos e os treinou. Jesus sabia que teria de voltar para o Pai em breve e quis deixar um grupo preparado para dar continuidade à sua obra. Isto é visão estratégica, amor pela obra e chamado à cooperação. Mas, o inusitado de Jesus está no v. 2, onde se diz que, junto com os doze, algumas mulheres faziam parte desta tropa de Jesus. Vamos ao contexto histórico de Israel daquela época: um mestre judeu jamais ensinaria uma mulher, porque eles achavam as mulheres indignas e incapazes de aprender seus ensinamentos. Um mestre judeu considerava uma vergonha ser abordado por uma mulher. Jesus, que era considerado um mestre, não só ensinava mulheres (ex.: mulher samaritana, Maria aos pés de Jesus enquanto Marta trabalhava) como chamou e/ou permitiu que elas fizessem parte do seu grupo de proclamação do evangelho do Reino de Deus. Leitor: Jesus foi revolucionário para sua época em relação às mulheres. Ele deliberadamente quebrou várias regras sociais para colocar a mulher no mesmo nível que os homens. Preste atenção: para Jesus, as mulheres tanto podiam aprender do evangelho como ser pregadoras dele.

As mulheres que seguiam Jesus tinham recebido algum tipo de bênção da parte dele. Lucas nos diz que algumas tinham sido curadas de espíritos malignos e doenças. Estas bênçãos podem ter sido dadas, não a elas individualmente, mas a algum membro da família. A verdade é que seguiam Jesus por gratidão e por sentirem-se valorizadas por ele. Algumas delas, que formavam a caravana de Jesus, são citadas (v. 3): Maria Madalena o seguia desde que espíritos malignos foram expulsos dela pelo Senhor, Joana era uma mulher importante na sociedade, pois era esposa do administrador do rei Herodes e Susana. Se estas três mulheres são citadas por Lucas pelo nome é porque elas eram bem conhecidas da comunidade cristã quando Lucas escreveu seu evangelho, aproximadamente no ano 60 d. C. Ou seja, trinta anos depois destes eventos, estas mulheres continuavam proclamando o evangelho do Reino! Mas haviam outras mulheres, segundo Lucas. Outra novidade de Jesus: como a caravana era grande e, aonde iam, precisavam comprar alimentos, então o grupo era sustentado financeiramente por mulheres que tinham melhor condição. Vejam que o sustento financeiro para realizar a obra de Deus é algo tão normal que Jesus utilizava-se disto para seu grupo.

Existe hoje em minha denominação (batista) a discussão se uma mulher pode ou não ser pastora. Baseado neste texto e em muitos outros, a minha opinião é que ela pode ser pastora sim. A mesma capacidade e o mesmo valor são dados às mulheres em relação aos homens, por Cristo e pelo Espírito Santo. Jesus, como ninguém, valorizou as mulheres e nunca as desprezou como se fossem inferiores. No Reino de Deus, o trabalho delas é igual aos dos homens e seu valor também. Não é à toa que os países que começaram com a ter mulheres como líderes políticas foram os países de tradição cristã. Digo a vocês que, a pessoa que começou este processo de valorização da mulher na sociedade e de igualdade de valor com os homens, foi o Senhor Jesus Cristo. Mulheres: entrem de corpo e alma no trabalho do Reino de Deus e de glorificação do nome de Jesus porque ele ama vocês, salvou-as na cruz do Calvário, chama para participar desta obra bendita e vai levá-las para o céu, da mesmíssima forma que faz aos homens que creem nele.

Última atualização em Qui, 17 de Setembro de 2015 11:37
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Pagina 1 de 75
 
Copyright © 2016 Portal Batista. Todos os direitos reservados.
Rua José Higino 416, Predio 28 - Rio de Janeiro - RJ / CEP 20510-412 / (21) 2157-5557