Textos e Estudos Bíblicos
A tentação de Jesus(2ª parte)- Vender a alma ao diabo em troca de poder PDF  | Imprimir |  E-mail
Escrito por Redação CBB   
Ter, 15 de Julho de 2014 09:17

A TENTAÇÃO DE JESUS (2ª PARTE)

VENDER A ALMA AO DIABO EM TROCA DE PODER
Lucas 4.5-8


Um escritor alemão chamado Goethe, no século XIX, escreveu uma peça de teatro chamado Fausto. O personagem principal, Fausto, um sábio, faz um acerto com o Diabo, vendendo sua alma em troca de um momento de felicidade que dure aqui na Terra. Jesus também foi tentado pelo Diabo no sentido de vender sua alma a ele. Esta é a segunda tentação de Jesus descrita em Lucas 4.5-8.

O Diabo tira Jesus do deserto e o leva a um lugar muito alto (v. 5). A tática é que ele se afaste do deserto da vida e experimente momentos de poder. Em seguida, o Diabo mostra-lhe, num relance, todos os reinos do mundo e a glória deles. O Diabo faz então sua proposta a Jesus (v.6): “a ti, darei toda a autoridade sobre eles e todo o esplendor e a glória deles”. O Diabo pretende fazer de Jesus o homem mais poderoso da Terra. Aquele a quem todos serviriam. De todos os povos viriam pessoas para exaltar o poderoso Rei Jesus. O Diabo propõe-se a “dar”: muito gentil ele, não? Ele explica a Jesus porque pode dar este poder a ele: ele próprio, o Diabo, também recebeu este poder e tem o direito de dar a quem ele quiser. Vamos parar a história um pouco e analisar, biblicamente, esta palavra do Diabo. A Bíblia diz que todas as coisas pertencem a Deus por direito de criação: “do Senhor é a terra e tudo que nela existe, o mundo e os que nele vivem” (Sl 24.1). No entanto, quando Adão pecou no Éden, instalou-se o pecado e a maldição nesta terra de Deus: “maldita é a terra por sua causa” (Gn 3.17). Quando homens pecadores dominaram a terra, criaram estruturas de poder que também se tornaram pecaminosas. Foram estas estruturas de poder pecaminosas que os homens entregaram ao Diabo, o grande pensador e líder por trás delas. Veja, o Diabo mostrou a Jesus os “reinos humanos e o esplendor deles”. O que é isto senão estruturas de poder voltadas para o mal? Todo poder e glória originados do pecado humano pertencem ao Diabo. Vou dar dois exemplos: quando grupos criminosos como o PCC em São Paulo e o Comando Vermelho no Rio de Janeiro organizam-se de forma estruturada para cometer crimes e se enriquecer, todo poder, fama e dinheiro que eles têm pertencem ao Diabo. Sem que eles saibam (ou sabem?), seu líder é o próprio Satanás. Outro: quando um grupo de homens públicos e banqueiros se unem para saquear o Estado em favor de seus próprios bolsos e sonhos de poder, eles têm como líder o Diabo, embora todos se declarem cristãos ou ateus. São estas estruturas poderosas que o Diabo oferece a Jesus.

Agora vem a contrapartida de tão grande oferta (v. 7). O Diabo diz a Jesus que ele deve adorá-lo: “se você se prostrar e me adorar, tudo será seu”. “Abandone Deus e volte-se para mim que posso lhe dar poder e glória”. Leitor, se você buscar este tipo de poder que lhe vem pela prática do mal, do pecado, do crime, então você abandonará o Deus verdadeiro e servindo ao Diabo. Literalmente, você venderá sua alma ao Diabo. Se você está sendo tentado a participar de estruturas poderosas do mal, peça a ajuda do Senhor Jesus e diga não a esta tentação. Livre sua vida! Pela proposta do Diabo, Jesus teria poder sobre todos os povos da terra sem derramar uma gota de suor, sem cansaço, sem andar com os pobres e ser pobre, e principalmente, sem cruz.

Jesus, homem valente, enfrenta o Diabo utilizando-se da Palavra de Deus em Deuteronômio 6.13. Ele diz: “prostrar-se e adorar, só a Yahweh, o teu Deus; servir, só a ele” (v. 8). O que Jesus está dizendo é o seguinte: “minha vida será dedicada a Deus e seus valores, mesmo que eu fique pobre, anônimo, sem poder e sem glória. Eu não participarei de estruturas de corrupção, imoralidade ou opressão. Eu escolho o suor, o serviço aos necessitados, o amor às pessoas. Acima de tudo, eu escolho a cruz como modo de viver e como término de vida”. O que você vai fazer de sua vida? Vai vendê-la ao Diabo, experimentando migalhas do poder dele e perdendo-se para sempre? Ou vai servir a Deus, levando sua cruz e procurando-o em tudo que você fizer?

Última atualização em Ter, 15 de Julho de 2014 09:25
 
A TENTAÇÃO DE JESUS (1ª PARTE)-Viver para subsistir PDF  | Imprimir |  E-mail
Escrito por Redação CBB   
Seg, 07 de Julho de 2014 10:12


alt


A TENTAÇÃO DE JESUS (1ª PARTE)

VIVER PARA SUBSISTIR
Lucas 4. 1-4


Há pessoas que simplesmente passam pela vida. Não exercem influência significativa sobre ninguém. Algumas chegam a adquirir seus quinze minutos de fama e logo se vão. Outras deixam um legado de boa influência que vai sendo repassado por gerações. Com certeza, você pode lembrar-se de um professor que marcou sua vida, um líder religioso, um profissional ou mesmo seus pais ou um de seus parentes. Gente que fez mais do que apenas sobreviver. Dou início à meditação sobre as tentações que Jesus sofreu no deserto e detecto três tipos delas no texto de Lucas 4.1-13. Hoje, vamos estudar a primeira tentação que se encontra em Lucas 4.1-4.

Após seu batismo, Jesus volta cheio do Espírito Santo (v.1). Ser cheio do Espírito Santo é deixar que ele guie sua vida, seguir a sua missão debaixo da orientação dele. No caso de Jesus, o Espírito o levou ao deserto para ser tentado. Veja o que acontece com Jesus: por dentro, cheio do Espírito; por fora, um deserto sem vida. Ser cheio do Espírito Santo nem sempre o levará a uma vida de prosperidade, popularidade e poder mas a um árido e tortuoso deserto. Se hoje você está num “deserto”, talvez este seja o caminho que o Espírito escolheu para que você descubra a vontade dele para sua vida.

Jesus ficou quarenta dias no deserto, sem comer nada neste período (v. 2). Certamente, bebeu água pois a abstinência foi apenas de alimentos. Ele devia ser um homem-forte física e espiritualmente, pois aguentou firme esta situação difícil. Este período teve um objetivo: ele seria tentado exaustivamente pelo Diabo. Preste atenção: foi o Espírito Santo que o levou para ser tentado, para passar por esta prova. Seu adversário, o Diabo, é um torturador perito e vai investir com todas as suas armas contra este homem. O Diabo também deseja tirar suas últimas dúvidas sobre a identidade desta pessoa: ele tem sérias desconfianças de que este Jesus de Nazaré seja o próprio Filho de Deus. No final dos quarenta dias, teve fome. Vamos entender esta “fome”: ele sentiu fome desde que começou o jejum. Ao final de quarenta dias, ele estava com sua condição física totalmente comprometida, à beira da morte. Jesus corria um seriíssimo risco de morrer.

Neste contexto, ocorre a primeira tentação (v.3). O Diabo tenta-o colocando em dúvida sua relação filial com Deus: “se és o filho de Deus”. O que ele quer dizer é o seguinte: “como é que você está nesta situação aflitiva se é o filho de Deus? Não pode ser assim. Isto não está certo. Você é o filho de Deus e tem direito a uma vida boa, tudo com fartura, do bom e do melhor”. O Diabo sempre tenta opor Deus a nós. Quando passamos por períodos de doença, tristeza, desemprego, frustração, relacionamentos rompidos, ele vem sussurrar em nossos ouvidos que Deus não gosta de nós, que ele não se importa conosco. O Diabo nos diz que Deus só gosta daquelas pessoas cujas vidas vão muito bem. A proposta do Diabo a Jesus é que ele mandasse a pedra transformar-se em pão. Afinal, ele precisava viver. Sua subsistência física deveria ser o objetivo de sua vida. Esta é uma tentação forte que persegue os seres humanos. O Diabo tenta nos enganar dizendo que a sobrevivência física e a satisfação dos prazeres humanos tais como comida, bebida, corpo sarado, sexo, vícios e outros são a razão de nossa existência. O apóstolo Paulo cita um dito de sua época e que retrata bem este tipo de pessoa: “comamos e bebamos porque amanhã morreremos” (I Co 15.32). A sociedade atual organiza-se ao redor do prazer. Analise as propagandas para a venda de produtos hoje. Observe por qual motivo as pessoas estão roubando e matando? Por que famílias, de longos anos de convivência, estão se separando? O motivo é um só: o prazer de satisfazer nossas necessidades físicas e nossos desejos tornou-se a razão de nossa existência. E mais: não importa se esta satisfação for imoral ou ilegal, importa consegui-la de qualquer maneira.

Jesus responde ao Diabo com a Palavra de Deus (v. 4). É a Bíblia que vai dar discernimento e vitória ao lutar contra esta tentação. Sua palavra foi: “nem só de pão viverá o homem”. Jesus quer nos dizer o seguinte: se sua pretensão na vida for apenas satisfazer suas necessidades e prazeres pessoais, então você não viveu! Você apenas passou pela vida. A verdadeira vida, embora conste da satisfação de nossas necessidades básicas, tem propósitos muito mais elevados de existência. A grande pergunta a ser respondida é: “eu existo para quê?”. A brasileira presa na Rússia em 2013, por causa de atividades do grupo Greenpeace, elegeu a causa do meio ambiente para sua vida e não apenas sobreviver. É tocante a foto de um menino negro tocando violino e chorando no funeral de seu professor que tirou muitas crianças da marginalidade para ensinar música. Este professor encontrou seu propósito de viver. Segundo a Bíblia, o maior motivo para viver é promover a glória de Deus: “assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus”. E você, leitor, apenas sobrevive satisfazendo seus prazeres e necessidades ou vive por uma causa maior que você?

Última atualização em Seg, 07 de Julho de 2014 10:23
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Pagina 1 de 53

 

Copyright © 2014 Portal Batista. Todos os direitos reservados.
Rua Senador Furtado, 56 - Rio de Janeiro - RJ / CEP 20270-020 / (21) 2157-5557